Como funciona um condomínio fechado? 9 vantagens e dúvidas comuns

9 minutos para ler

Como funciona um condomínio fechado?

É fato que refugiar-se em um condomínio fechado em uma cidade grande é a alternativa (e o sonho) de muitas pessoas que precisam da facilidade de morar em área urbana, mas não gostam do agito e do caos. 

Alguns condomínios fechados são tão bem estruturados que incluem até áreas de lazer coletivas, como piscina ou academia, reduzindo a necessidade de os moradores saírem dali. 

Há menos preocupações com roubos ou assaltos, visto que esse tipo de moradia costuma ter uma equipe responsável pela segurança, que controla a entrada e a saída de pessoas. 

Claro que, como todo ambiente coletivo, há normas a serem seguidas para que todos levem uma vida confortável, sem aquelas desavenças comuns entre vizinhos. 

Se você tem vontade de fugir do caos da cidade, descubra, neste artigo, como funciona um condomínio fechado.

Como funciona um condomínio fechado?

O condomínio fechado é um tipo de moradia na qual o proprietário adquire uma fração ideal. Essa fração ideal consiste na área de uso privativo, onde será construída ou onde se localiza a residência, e a área de uso comum. 

Assim como ocorre nos edifícios residenciais, a administração de um condomínio de casas deve seguir o regramento dos artigos 1.331 e 1.358 do Código Civil e a Lei Federal 4.591, de 1964. 

Essas leis definem que os moradores devem elaborar uma convenção de condomínio e aprovar, por contrato ou deliberação em assembleia, um regimento interno para o local. 

Além dos custos gerados pela compra da fração ideal, o condômino terá a responsabilidade de pagar uma taxa condominial, que corresponde à cota de cada proprietário sobre o rateio das despesas. 

Esse valor inclui custos com administração, iluminação, manutenção das áreas comuns, limpeza, conservação das áreas verdes e limpeza. 

Existe a possibilidade de os moradores também terem de pagar um valor referente à criação e à manutenção de um fundo de reserva para o caso de despesas extraordinárias, como reformas ou melhorias necessárias. 

Portanto, antes de optar pela compra em um condomínio, é importante estar informado sobre quais são os valores dessas taxas.

5 vantagens de morar em um condomínio fechado

vantagens condomínio fechado

1. Segurança

Sem dúvida, essa é a principal vantagem desse tipo de moradia. Há portaria 24h, equipes preparadas para vigilância e monitoramento por câmeras. 

Ninguém entra sem a permissão e até mesmo os serviços de tele-entrega acabam passando pelo aval dos porteiros. Cercas eletrificadas e muros altos também são comuns em condomínios fechados. 

2. Espaço para as crianças 

Justamente pelo nível ampliado de segurança, é possível que as crianças possam brincar e interagir com os vizinhos ao ar livre, sem estarem expostas ao perigo das ruas. 

Na verdade, o condomínio fechado é uma ótima opção para famílias com filhos ainda pequenos.

3. Estrutura 

Academia, salão de festas, parquinho para crianças e, às vezes, até quadras de esporte. Essas são algumas das vantagens oferecidas por condomínios fechados. 

Para quem deseja se manter afastado do barulho e do caos da cidade grande, é uma bela alternativa. Quanto melhor equipado o condomínio, menores as chances de você precisar sair dele.

4. Custo-benefício 

Sempre que os custos de moradia são divididos entre várias pessoas, eles acabam sendo menores. 

Essa é a vantagem do condomínio fechado para quem prefere morar em uma casa ampla. 

Mesmo que seja necessário seguir mais regras do que as que você teria de seguir caso comprasse ou construísse uma casa em uma rua, o custo-benefício acaba valendo a pena. 

Por isso, é sempre importante pesquisar os preços antes de fechar o negócio.

5. Convivência 

Em um condomínio fechado, as casas são próximas umas das outras, e você pode ter de conviver mais com algum vizinho ou outro, o que faz com que surjam oportunidades para novas amizade. 

Nas áreas comuns, também será necessário interagir com os outros condôminos e, dependendo dos ânimos, podem surgir grupos de amigos ou até novos casais. 

Para as crianças, é uma ótima oportunidade de aprender a conviver em sociedade e de criar fortes laços de amizade, daqueles que se mantêm a vida toda!

Regras comuns em condomínios fechados

re

Em condomínios fechados, são criadas associações de moradores para definir os regulamentos e normas que deverão ser seguidas por todos que morarem no local. 

banner_blogpost_-_novo_larPowered by Rock Convert

Nada muito diferente das tradicionais reuniões de condomínio que ocorrem nos prédios, normalmente uma vez por mês.

Essas regras estabelecem as principais normas de convivência para garantir a segurança e o bem-estar de todos os condôminos. Há a parte mais burocrática, que envolve a infraestrutura do condomínio (ruas, iluminação, distribuição de água e energia elétrica). 

Também são definidas regras de comportamento, como para receber visitas, horário limite para fazer barulho e normas para regulamentar o uso de áreas comuns a todos os moradores. 

Aspectos que parecem individuais, como, por exemplo, a cor de uma casa ou o tipo de vegetação escolhido para o jardim, devem ser também estabelecidos em reunião.

Há condomínios que optam pela uniformidade entre a decoração e o paisagismo das casas. Outros permitem que os moradores personalizem um pouco mais a própria residência. 

Há regras para a circulação em área externa e nas áreas comuns. As normas variam de condomínio para condomínio, e muito pode ser inferido pelo bom senso.

Para usar as áreas comuns, como o salão de festas, normalmente é necessário fazer uma reserva. 

Quando houver piscina, será costumeiro que mais pessoas usufruam do espaço ao mesmo tempo, sempre mantendo o respeito ao próximo.

Como muitas pessoas, hoje, possuem animais de estimação, os condomínios costumam elaborar regras específicas.

 É necessário evitar que cães, principalmente, façam barulho em excesso ou que fiquem soltos pela área comum. Também lembre-se sempre de recolher a sujeira que seu cãozinho possa fazer. 

Ah! Outra dica importante: informe-se a respeito das multas e sanções que você pode sofrer caso desrespeite algum regulamento.

4 dúvidas comuns sobre morar em condomínio fechado

1. Posso fazer o que eu quiser no condomínio?

Não. Assim como a vida em edifícios comuns, é preciso seguir regras de convivência para que todos os moradores desfrutem do espaço em harmonia. Além de consultar as normas estabelecidas em convenção de moradores, siga o famigerado bom senso

2. Qual a diferença entre condomínio fechado x loteamento?

Ao adquirir um terreno ou uma casa em um condomínio fechado, uma parte do condomínio em si é comprada. 

Compra-se também o direito de usufruir de todas as áreas comuns do empreendimento habitacional. Em um loteamento, adquire-se somente o espaço do lote. 

Sendo assim, a principal diferença é de que o condomínio fechado é privado, e ninguém pode entrar sem autorização. 

O loteamento, porém, pode ser um conjunto de casas com um mesmo padrão, mas não há áreas coletivas além da via pública nem cobrança de taxa de condomínio. 

3. Quem fiscaliza as regras de um condomínio fechado?

Assim como em um edifício, há um síndico designado para cada condomínio fechado. 

O síndico pode ser um dos moradores ou um síndico externo, profissional. Ele será responsável pela fiscalização das regras de convivência, por convocar as assembleias e pela administração do condomínio. Vale lembrar que, se ele também for um morador, também estará sujeito às normas que ele mesmo fiscaliza. 

4. Quais são as taxas que deverei pagar?

Como já explicamos nesse artigo, todo o condômino deverá pagar uma taxa condominial que inclui custos de manutenção e de conservação da infraestrutura. 

Todos os valores são acordados nas assembleias de moradores. Há, também, multas que podem ser cobradas caso os moradores desrespeitem as regras de convivência.  

Condomínios fechados em Capão da Canoa

Capão da Canoa é uma das cidades que tem mais estrutura no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. A população estimada da cidade, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, é de 53.049 pessoas. Pode-se dizer, portanto, que não é uma cidade muito agitada, porém com uma qualidade de vida exemplar.

No entanto, esse cenário muda radicalmente durante os meses de calor, quando boa parte dos gaúchos literalmente se muda para lá durante o verão ou visita a cidade todos os finais de semana. 

A opção de um condomínio fechado é atraente tanto para moradores da cidade como para os veranistas, que podem “fugir” do grande movimento do veraneio. 

Um dos exemplos de condomínios que garantem essa tranquilidade é o Condomínio Murano, localizado na Estrada do Mar (RS-389, km 37).

Condomínio fechado. É pra você?

Se você não quer abrir mão da facilidade da cidade grande, mas quer fugir do barulho e do caos, refugiar-se em um condomínio fechado é uma ótima pedida. 

Para quem tem filhos pequenos, é a chance de permitir que os filhos tenham uma infância saudável, que convivam com crianças da idade deles e que possam brincar “na rua” sem os perigos de uma via pública. 

Além disso, o custo-benefício de um condomínio fechado, que, muitas vezes, oferece diversas facilidades e opções de lazer, acaba compensando a necessidade de seguir regras mais “rígidas” de convivência. 

O condomínio fechado acaba sendo, normalmente, a opção que oferece maior qualidade de vida, com conforto e segurança, por um valor acessível quando se leva em consideração todos os benefícios que oferece. 

Posts relacionados

Deixe um comentário